terça-feira, 22 de junho de 2021

Personagens, uma introdução


Sejam bem-vindos a mais um post. Hoje investigaremos um tema um tanto quanto extenso, personagens. O que eles são, sua origem e sua função.

Nos próximos posts iremos nos aprofundar em seus tipos e variantes e em como podemos usá-los na narração. Bem, eu gostaria de primeiro, por pura curiosidade entender de onde a palavra surgiu e com que finalidade ela se deu, pois, devido ao tempo, as palavras têm a tendência de ter outro significado.

PS: Na verdade, esse post deveria ter vindo há meses atrás, mas como eu esqueci dele, aqui está.

Origem

O que eu encontrei foi:

“A palavra deriva de personau, que no grego nomeava originalmente o orifício, no local da boca, nas máscaras de teatro por onde ”personava“ a voz dos atores. A mesma raiz etimológica deu origem à palavra pessoa.”

E,

“Vem do Latin ” per sona“ significa dizer "pelo som”. Na Roma antiga, no teatro não havia atrizes, os homens faziam o papel feminino. Usavam máscaras, e a plateia os identificava “pelo som” que saia das máscaras, sem no entanto ver realmente a cara do ator. Daí a origem da palavra personagem …“ *

  • Personagem vem do Francês PERSONNAGE, “indivíduo de destaque numa história ou peça”, do Latim PERSONA, que vem do Etrusco PHERSU, “máscara teatral”, do Grego PRÓSOPON, “face, máscara”. *

E também temos o termo ’Persona’, que também é interessante e se aproxima bastante:

  • Persona vem do Etrusco PHERSU, “máscara teatral”, do Grego PRÓSOPON, “face, máscara”. Esta palavra originou também nosso termo prosopopéia, figura de linguagem em que o autor concede sentimentos a seres inanimados, animais ou mortos. *

E o que nos dá:

  • A origem é o Grego PROSOPOPOIÍA, “personificação”, de PROSOPON, “rosto, pessoa”, mais POIÊIN, “fazer”.

E também temos sua definição:

Definição

personagem

substantivo de dois gêneros


  1. pessoa que é objeto de atenção por suas qualidades, posição social ou por circunstâncias.


  2. papel representado por ator ou atriz a partir de figura humana fictícia criada por um autor.


  3. por extensão
    figura humana imaginada pelos autores de obras de ficção.

  • por extensão
    figura humana representada em várias formas de arte.
    por extensão
    o homem definido por seu papel social ou comportamento.

Com isso em mente, o que podemos tirar disso?

Um personagem pode ser:

  • Um indivíduo com certa posição social e em tal circunstância;

  • definido por seu papel social ou comportamento;

  • de destaque numa história ou peça;

  • Uma figura humana;

  • Uma máscara, uma face (de personalidade);

  • Representada por várias formas de arte;

  • Conceder sentimentos a seres;

  • Personificação de um rosto ou pessoa.

Resumindo: Se eu pudesse explicar de uma forma simples, eu diria que um personagem é indivíduo que tem uma personalidade e sentimentos, inserido em um contexto e em uma situação, usado para personificar de forma teatral uma história, a fim de contá-la através desse personagem ou desses personagens.

O que é um Personagem?

Na literatura, a área do conhecimento que nos interessa, Personagem se refere aos seres que atuam na história, que agem e reagem aos acontecimentos, que guiam os leitores através das histórias, ajudando a entender os enredos e os temas, podendo ou não ser uma pessoa, como animais, seres fictícios e objetos que tenham fisionomias e características humanizadas, pois é o aspecto humano que nos permite aceitar aquele personagem como verossímil e real naquele contexto. Ou seja, são seres personificados. Como por exemplo, em Guardiões da Galáxia, aceitamos que uma árvore pode se mover e um guaxinim pode falar.

Entretanto, se olharmos em um aspecto mais profundo, um personagem simboliza muito mais que seres que estão inseridos em uma história; um personagem representa a vontade que, nós, serem humanos temos de representar a nós mesmos desde o início dos tempos. Seja no tempo das pedras ou nos grandes feitos dos heróis gregos e romanos, essa é a forma que decidimos usar para desenvolver uma organização societal e ideológica, porque é tudo o que somos, ideias e pensamentos, como nos vemos e como vemos o mundo ao nosso redor.

E para provar que os personagens são os representantes do que somos, devemos observar a definição de protagonista à antagonista que virá mais a frente; tudo está na índole deles. Porque as pessoas boas e corretas são os protagonistas? Porque o antagonista não poderia vestir o papel de protagonista? É tudo sobre ideias, sobre o que pensamos ser o que uma pessoa ideal deveria ter e sobre o que seria seu oposto, algo que devemos combater. Bondade, justiça e sabedoria, esses são qualidade que julgamos ser boas, mas e se… e se o que prezássemos fossem outras coisas? E se elas fossem o egoísmo, o individualismo e a beleza sem consequências? Personagens são nada mais que uma imagem, uma máscara que temos de nós mesmos ou de outras pessoas, são personalidades que usam sentimentos e ideias, são máscaras, são arquétipos, que personagens usam para agir e reagir à procura de alcançar algum objetivo previamente definido, mesmo que esse objetivo não esteja claro no texto.

Como vimos antes, a palavra “personagem”, etimologicamente, é uma derivação da palavra grega persona, que simbolizava o buraco nas máscaras por onde saiam as vozes dos atores, hoje é a representação do Homem em uma narrativa, uma ideia, uma visão de mundo, algo mais simples, pois uma pessoa real é muito complexa e difícil de entender, enquanto que um personagem é um conjunto de características, uma paleta de aspectos que pertencem a tal personagem e que o faz agir de determinada maneira. É uma tentativa de compreender o ser humano.

Esse conjunto de características ou qualidades, é revelado ao público principalmente através de suas AÇÕES. Mesmo que exista um narrador que nos conte como é um personagem ou uma caracterização, só iremos conhecê-lo de verdade através de suas ações. Nesta questão, existem as ações normais no dia a dia que podem nos informar sobre a superfície do personagem; se é um estudante, uma dona de casa, um policial, etc; mas também existem as ações dramáticas, decisões do personagem que avançam a história.

Como diz Robert McKee em seu livro Story: A verdadeira personagem é revelada nas escolhas que um ser humano faz sobre pressão – quanto maior a pressão, maior a revelação e mais verdadeira a escolha para a natureza essencial da personagem. Apenas através dessas escolhas, dessas ações dramáticas que conheceremos de verdade nosso personagem. Talvez aquele inocente recepcionista do hotel seja um serial killer enlouquecido.

Para criar um personagem que tenha tridimensionalidade, ou seja, dê a impressão de ser uma pessoa real, uma representação, precisamos saber sobre sua história pregressa (backstory), a história do personagem antes do roteiro começar; precisamos também conhecer suas características físicas, psicológicas e sociais; e também seu comportamento, o que nosso personagem faz. Todos esses elementos devem se traduzir em ações no roteiro e permitir que um personagem seja nítido e, ao mesmo tempo, representar algo complexo.

Para terminar, outra frase de Robert McKee retirada do seu livro Story: De forma simples, uma personagem deve ser crível: jovem o suficiente ou velha o suficiente, forte ou fraca, mundana ou ingênua, educada ou ignorante, generosa ou egoísta, esperta ou boba, nas proporções certas. A combinação de qualidades deve permitir que o público acredite que a personagem poderia agir, e agiria, da maneira que age na tela. E através dessa credibilidade, o autor utiliza os personagens para representar uma ideia que quer passar para seu público. Os utiliza para contar uma história e, através dela, oferecer uma nova possibilidade de vida. *

Fonte:

https://en.wikipedia.org/wiki/Character_(arts)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Personagem

https://conceito.de/personagem

https://oroteiristainsone.wordpress.com/2016/11/15/o-que-e-um-personagem/

https://www.dicionarioinformal.com.br/significado/personagem/3782/

https://origemdapalavra.com.br/pergunta/etimologia-da-palavra-personagem/

https://origemdapalavra.com.br/palavras/persona/


0 Comments:

Postar um comentário