segunda-feira, 14 de junho de 2021

Como Escrever Sua História - Introdução (Desenvolvimento)

 

Sejam bem-vindos mais uma vez! Nesse primeiro post definiremos como prosseguir daqui para a frente e também alguns aspectos para tornar a escrita mais fácil.

Gramática e Ortografia

Após definirmos personagens, ambientação, estrutura e enredo, a forma que seu texto tomará é o aspecto mais importante. Então, sinto informar, se você não souber as regras de ortografia e gramática vai ser muito difícil escrever e comunicar através das palavras a história que você deseja contar. Escrever errado não é estilo de escrita, não é um jeito inovador de se expressar, é apenas desleixo, é não se importar com a forma do texto e o modo que você escolheu contar aquela história. Assim, se eu fosse escolher os assuntos mais importantes para estudar, eu diria (embora eu ache que seria ideal estudar gramática e ortografia como um todo):

  1. Pontuação,

  2. Crase,

  3. Todos os tipos de orações: coordenadas e subordinadas,

  4. Sujeito e objeto,

  5. As classes gramaticais,

  6. Pleonasmo e Ambiguidade,

  7. Coesão e Coerência,

Como um bônus eu também aconselharia:

  1. Evitar advérbios;

  2. Nunca esquecer da vírgula que isola o vocativo;

  3. Prestar atenção na fluidez do texto e no tamanho dos parágrafos;

  4. Tomar cuidado com os verbos dicendi.

Mais dicas aqui.

Rotina

Outro aspecto que deveria fazer parte do processo de escrita. Imagine uma pessoa que apenas escreve quando tem “inspiração” ou está “motivado”, o quanto essa pessoa produziria? Umas 1000 palavras por semana, talvez umas 5 mil por mês? E onde isso nos levaria? Há lugar nenhum. Quer dizer, no final do ano ela pode até conseguir escrever uma história, porém haverá muitos furos e a fluidez estará estranha porque ela escreveu aquilo por muito tempo e acabou se perdendo no enredo, além do humor do escritor poder atrapalhar o estilo de escrita no geral. Agora, se você for uma pessoa que se prepara antes, faz o planejamento e executa seu enredo dentro de um tempo estabelecido, fica bem mais fácil controlar para onde a história anda, isso se dá pelo motivo do escritor não precisar ficar voltando sempre para relembrar o que escreveu, assim perdendo menos tempo com leitura.

Se você não sabe como criar uma rotina, aqui vão algumas sugestões:

  • Defina um objetivo diário

Quantas palavras você deseja escrever? Escreva todo dia certo número de palavras e depois de alguns dias se tornará algo fixo em você.

  • Defina um horário

Eu não gosto muito dessa dica, embora ela seja eficaz. Se você se acostumar a escrever em um certo período fica mais fácil escrever.

  • Defina uma meta semanal

Essa é a dica que mais funciona para mim. Se eu falo para meus leitores que vou postar em certo dia, fico mais motivada ainda. Além de ser uma forma de me organizar. Nem que seja 500 palavras por semana, já vai estar ajudando muito.

  • Beta reader

Acho que é de bom gosto ter alguém que te ajude a revisar o texto e ver se há furos no enredo desde o início, assim, é mais uma pessoa te motivando e ajudando, percorrendo esse caminho com você.

  • Aceite as imperfeições

Seu texto não será perfeito na primeira versão, nem na segunda. Talvez na terceira ou na quarta. Talvez aquele seu primeiro livro nunca veja a luz do dia, nunca terminado. A experiência vem com o tempo. Por isso, pegue leve com você. É por isso que existe a revisão que é extremamente necessária para um livro bem escrito. E também aceite a falha, aceite que você provavelmente vai abandonar a escrita de algumas histórias e que está tudo bem. Respire e comece de novo, reescreva tudo e se não for possível, passe para a próxima. Você consegue.

Pesquisa e Organização

Eu não posso enfatizar o suficiente como pesquisa e organização faz toda a diferença na vida de um escritor. Por isso, volto a dizer, fazer a pesquisa dos dados que você vai precisar ajuda a poupar tempo durante a escrita. Não somente informações sobre lugares e ideias, mas também qualquer detalhe, como característica de personagens, onde eles moram e lugares que frequentam, ou até pensamentos e sentimentos que você quer que o personagem demonstre. Toda informação é importante, mesmo que não vá parar na sua história. Ao invés de ficar perdendo tempo procurando coisas pequenas, se prepare e reúna todas as informações em um lugar só para fácil acesso. Organize-as de forma que você entenda sem dificuldade. 

É interessante usar algumas horas, de tempos em tempos, para revisar e manter seu planejamento organizado. Às vezes, pode aparecer uma ideia mais interessante ou algum fato que você queira mudar. Assim, te ajuda a manter em mente seu objetivo na história e para onde você quer que ela vá.

Estendendo as cenas

É quando a história toma forma. À primeira vista tudo que faço é adicionar mais descrições, dando aquela cara de narração. Conto um pouco da vida deles, misturando o contar e mostrar, e vou estendendo as cenas com mais diálogos e detalhes até que eu julgue estar bom.

Nesse momento, decido se quero um conto assim, menorzinho, ou transformo em uma longa. E como fazer isso? É só pensar no mundo e nas pessoas rodeando nossos protagonistas. Eles têm amigos e familiares, não? Escreva sobre isso. Faça mais cenas com os personagens interagindo com eles no espaço de trabalho, família e lugares em comum e o que eles fazem quando chegam em casa. Esses momentos de tranquilidade e normalidade são muito importantes para dar um senso de continuidade e familiaridade para a história.

Eu geralmente faço tudo isso, só que dentro da minha cabeça. Às vezes, coloco todos esses dados no papel, outras, vou escrevendo cena por cena até chegar ao final. No começo desse módulo é o que faremos, definiremos capítulo por capítulo e cena por cena. É bom anotar tudo para não esquecer de detalhes, e não se preocupe, novas ideias para a história sempre surge durante o processo de escrita. Se não acontecer, deixe a história descansar por alguns dias e depois volte para revisá-la, esse sendo um passo muito importante. Para mim, sempre dá certo. Quando vejo, a história alcançou o triplo de palavras, parecendo que não terá fim.

O que prestar atenção

Linguagem corporal: A fala e pensamentos dos seus personagens condizem com a atitude deles? Use descrições simples com muitos detalhes sensoriais. Descrever pelos sentidos garante que você mostre e não diga.

Remova o excesso de gírias e chavões: Palavras que parecem tão ‘de boa’ agora, irão envelhecer seu livro dentro de um ano. Tente não usar clichês idiomáticos, isso é, expressões usadas por todos, principalmente gírias. Tente transcrever essas expressões de outras formas; afinal, esse é o trabalho do escritor, escrever as coisas de uma forma nova e diferente.

Limite o uso de pontos de vista (P.O.V.): Defina quem são seus personagens mais importantes e mantenha os P.O.V.s com eles. Essa técnica é nada mais que contar a história da perspectiva deles. Se for trazer algo de interessante ou novo para a história, use-a, senão, nem perca seu tempo. Essa não é a melhor forma de “enrolar”. Se esse for seu propósito, que tal fazer descrições sobre ambientação? Inserir uma cena que faça seus personagens interagirem com as pessoas e mundo ao redor deles? O ponto de vista não deve ser usado para isso. Atenha-se a dois ou no máximo três.

Cuidados com o texto: Analise suas técnicas com bastante antecedência. Como você aprendeu a escrever? Você tem costume de praticar diariamente seu ofício? Completou pelo menos um ano dessa prática diária? Você lê livros sobre o assunto? Estuda? Uma oficina literária? E os diálogos, você praticou para que os personagens soassem diferentes? Tudo isso nos ajuda a evoluir e melhorar cada vez mais nossa escrita.

Pontos fracos

Isso é algo que eu não costumo falar, porque para mim, parece óbvio. Reúna seus pontos de dificuldades e estude sobre eles. É o que eu faço a cada post aqui. Nos últimos tempos tenho estudado bastante sobre personagens. Mas porquê? Eu não sabia muito sobre eles, devo admitir. Como vim do mundo das fanfics, a história já estava lá, e os personagens também, já construídos para ser usados. Está sendo uma aventura e tanto, eu nunca percebi o esforço que vai na construção deles, na tentação de fazê-los sempre iguais ou sempre perfeitos, ou até pior, fazê-los completamente bons ou maus. É algo que eu ainda luto constantemente. Porque tem uns personagens que chego a adiar do fundo da alma. Então, eu tento entendê-los, seus motivos e motivações. É um exercício e tanto.

Para começar…

Agora que definimos alguns pontos essenciais, vamos colocar a mão na massa. A primeira coisa que eu tive que me perguntar é: como começar a escrever? Tipo, de verdade, no que eu me foco ao iniciar uma história? É engraçado porque eu nunca tinha pensado nisso, me parecia um processo bem automático e natural; você senta e escreve, certo? Para mim, tudo o que preciso é uma cena. Pense assim, tenho que desenvolver uma situação a partir daquela cena e assim, vou indo, sempre me perguntando o que acontece depois tendo em mente as consequências desses atos. Gosto muito de fazer um roteiro para cada capítulo, escrevo em tópicos as coisas principais que são obrigatórias; todo o resto é o que liga uma cena à outra, formando capítulos e depois arcos e então o enredo por inteiro. 

Então, analisando não é tão fácil. Todos desenvolvem seu próprio jeito de escrever. Pense em como você costuma escrever e compare com o meu.

 Resumindo:

Cena ⇒ Capítulo ⇒ Enredo

Podemos fazer da seguinte forma:

  • Tópicos.

  • Pequenos resumos.

Exemplo:

Tópicos ⇒ Se lembre de colocar tudo o que for útil para o enredo. O que acontece, o que o personagem sente e pensa e até a ambientação se for importante para a cena.

Capítulo 1 

Cena 1 = Nico acorda no hospital. Os médicos o avaliam. Nico ainda está fraco e volta a dormir. Se sente fraco, com tudo doendo e miserável.

Cena 2 = Nico acorda novamente e a enfermeira chama os médicos. Ele fala que tudo parece estar bem e que os amigos estão esperando do lado de fora. Nico pensa que não merece a amizade deles se sentindo ainda pior. Nico diz que quer descansar e ignora as enfermeiras ao redor dele.

E assim vai. Seu capítulo pode ter quantas cenas forem necessárias.

Resumos ⇒ Eles podem ser divididos por capítulos ou um parágrafo atrás do outro. Ou vocês podem se basear na estrutura de três atos ou na jornada do herói. Eu prefiro fazer dessas duas formas, pois o planejamento fica mais detalhado e fácil de escrever. O Exemplo fica assim:

Capítulo 1 

Nico acorda no hospital. Os médicos o avaliam. Nico ainda está fraco e volta a dormir. Se sente fraco, com tudo doendo e miserável. Nico acorda novamente e a enfermeira chama os médicos. Ele fala que tudo parece estar bem e que os amigos estão esperando do lado de fora. Nico pensa que não merece a amizade deles se sentindo ainda pior. Nico diz que quer descansar e ignora as enfermeiras ao redor dele.

ou

Capítulo 1 

Nico acorda no hospital. 

Os médicos o avaliam. 

Nico ainda está fraco e volta a dormir. 

Se sente fraco, com tudo doendo e miserável. 

Nico acorda novamente e a enfermeira chama os médicos. 

Ele fala que tudo parece estar bem e que os amigos estão esperando do lado de fora. 

Nico pensa que não merece a amizade deles se sentindo ainda pior. 

Nico diz que quer descansar e ignora as enfermeiras ao redor dele.

O importante é organizar de forma que você entenda facilmente na hora de estender ou desenvolver essas cenas.

Por hoje, ficamos por aqui. Mas nada impede que você já comece a escrever como eu vou fazer. Não teremos tarefas durante esse modulo, cabe a você praticar e desenvolver sua história com o nosso curso, pois essa é a tarefa, escrever nossas histórias e sempre avançar. Porém, se restarem dúvidas, deixe seu questionamento nos comentários ou me mande uma mensagem.

Até o próximo encontro.


0 Comments:

Postar um comentário